PESSOAL VOTE EM NOSSO BLOG.

7 de dez de 2009

SOGRÃO.... QUE BUNDA

SOGRÃO.... QUE BUNDA.
por anônimo.

Tenho 28 anos e namoro uma gata há dois anos. Estamos de casamento marcado e ela quer esperar pelo casamento para podermos transar, por isto muitas vezes estou loucão.Ultimamente tenho dormido na casa de minha namorada num sofa que tem no escritório, onde meu sogro trabalha.No inicio fiquei meio incomodado pois meu sogro tinha que entrar algumas vezes para telefone ],papeis e outras coisas, mas logo percebi que era seus afazeres e fiquei na minha.Uma manhã de segunda, fiquei para sair mais tarde e estava somente eu e o sogrão, ele entra de cueca branca e vi uma mala tão grande que fiquei impresionado, Sogrão tem 56 anos e esta inteiro, forte, com uma barba bonita, olhos claros e um bundão carnudo bem redondo de dar inveja a muitas gente. Sua cueca é pequena e realça bem a a bunda.Passei a sair toda segunda feira da casa do sogrão só para poder ver esta cena novamente. Logo percebi que as cenas ficarão mais picantes, sempre mostrando um mpouco da bunda, teve um dia que estava de pinto duro, e o cabeção saia por cima da cueca, fiquei besta e me deicou de pau duro, mesmo sendo grande o do meu sogro é de 26cm e grosso.Certa manhã, quando percebi que todos tinham saido, fiquei nu deitado esperando por ele entrar, quando entrou, fingi estar dormindo. Senti a presença dele do meu lado e não sabia o que fazer, não abria os olhos com medo. Depois de um tempão, vi meu sogro nu do meu lado batendo uma punheta naquele pintão enorme, fiquei de pau duro. Ele vendo, chegou devagar, pegou meu pinto, acariciou e começou a chupar, sua boca quente me deixou louco, era a primeira vez que estava sendo chupado e é muito gostoso, eu não aguentava mais quando ele deitou por cima de mim e eu senti aquele pintão na minha cara, como o tesão era enorme começei a gozar na boca do sogrão, levantei e começei a me vestir.Ai ele começou a falar, sentia um tesão enorme, gostou de me ver gozando, estava super calma e tranquilo, e com o pintão em pé, logo fui me acalmando e ele com jeitinho começou a chupar meu pinto mole que mais que depressa ficou em pé.Foi ai que ele ficou de 4 e pude ver o buraquinho do cu naquela bunda linda, venha menha genro ele disse come este cuzinho você vai gostar.Não sabia como fazer e com jeitinho apreendi tudo, e logo estava bombando no cu do sogrão, batendo as bolas naquela bunda linda que não conseguia parar de alisar, Gozei pela segunda vez e´plodindo o pau no cu do sogro e não queria tirar de la.To com o casamento marcado e me entendendo muito bem com o sogrão, nos fodemos todas manhãs de segundo como se fossemos casados, na cozinha, no banho, na escada, ...Ultimamente ele anda dando umas pinceladas no meu cu, fico todo arrepiado, mais não vou ceder, ja pensou arregaçar o cu antes do casamento???

SÁBADO DE MANHÃ COM SOL

SÁBADO DE MANHÃ COM SOL
por Gabriel.

Era um dia de sol lindo numa manhã de fim de semana, só tinha eu em casa, eram 9 da manhã e todos de casa estavam fora, continuariam fora até às 14:00. Aproveitei que moro no penúltimo andar do prédio e fui tomar banho de sol pelado, para me bronzear por inteiro.Bloqueei o meu elevador, mas sabia que não seria necessário trancar a porta, deixei fechada. Passei um bronzeador na virilha e região já que nunca tinha tomado sol antes. Depois de duas horas de sol, aparece o meu vizinho moreno do 23, o máximo que eu sei sobre o corpo dele é a marca que ele tem no peitoral, bem no meio, o resto ainda é um grande mistério.-Ô de casa! - gritou já da porta, eu ainda estava tomando sol quando ele entra logo de cara na sala de jantar, que tinha uma visão total da varanda que eu estava. Nunca disse para ninguém que era gay, mas estava tão excitado por ele me ver nu que não pude esconder.O meu vizinho olhou rapidamente para tudo, depois olhou seriamente para a minha cara, completamente vermelho, até que eu senti a minha cara quente.-Pois é... te juro que não tem nada a ver com você estar me olhando... - não sei por que disse isso, mas saí correndo para o meu quarto me vestir, mas ainda ficava imaginando o meu vizinho deitado na cama.Saí do quarto vestido normalmente até que eu vejo o meu vizinho deitado no sofá vendo TV como se nada tivesse acontecido. Parte minha queria simplesmente se desculpar por não ter avisado enquanto a outra simplesmente quer olhar para o pau dele. Olhei e vi um volume grande, só podia ser ereção. Estava de novo dividido entre amizade e tesão, pensei em ceder à tentação e simplesmente me deixar ter o prazer que eu desejava a tanto tempo.-Então, nada entre nós né? - Disse o meu vizinho, eu não me aguentava mais, tive que falar a verdade.-Na verdade... - Pus a minha mão nele e olhei para a cara dele, dava para ver na cara dele que ele também estava dividido. - não sei quanto a você, mas estava há anos esperando por esse dia.--Não sei muito bem, mas eu já estive com mulheres, mas ficava com tesão quando estávamos na piscina do clube, você sempre de sunga e eu de calção. - Disse o meu vizinho, eu senti como se um peso dos meus ombros tivesse saído.-Então, acho que nós dois queremos isso... - Estavamos um pouco relutantes, mas eu fiz as primeiras ações, já tinha tirado toda a roupa enquanto o meu vizinho só tinha tirado a camiseta, tênis e meia, nunca estive tão perto para ver com tantos detalhes aqueles mamilos.Enquanto eu lambia os mamilos dele eu tirava as calças dele e aproveitando para sentir as coxas dele, estavamos só de cueca. Fiquei de cueca em cima dele esfregando a minha virilha na virilha dele. Ficamos assim até que nós dois concordamos em tentar alguma coisa, deixei a minha virilha perto da cara dele para chupar o pau dele, quando eu abaixei a cueca dele, ele abaixou a minha, começamos juntos a chupar o pau do outro, eu sentia aquela língua massageando a cabeça do meu pau enquanto eu tentava fazer o mesmo, mas o pau dele era meio grande demais para colocar tudo de uma vez só. Eu me aventurei um pouco mais longe com aquela pica, estava com a cabeça do pau dele na garganta, senti umas contrações no pau dele e parei, o meu viznho ainda estava chupando o meu pau, quando eu estava quase gozando ele parou e eu senti como se tivesse que gozar com urgência. Paramos o 69 e decidimos que continuaríamos e depois trocaríamos os gozos. Começamos de volta o 69 e acabamos gozando em pouco tempo, nos beijamos e eu senti o gosto de duas porras juntas, ele engoliu as duas, eu ainda estava relutante para engolir, mas cabei engolindo também.Na carteira dele ainda tinham duas camisinhas, peguei uma lá e coloquei no pau dele, estávamos próximos a fazer um anal, até que ele pediu para fazermos isso também ao mesmo tempo, coloquei uma camisinha no meu e com ele deitado de costas e mais para cima no sofá, eu me deitei de bruços e fiquei mais para baixo no sofá. Eu sentia o meu pau extremamente apertado dentro daquele cu virgem e o meu vizinho não reclamava de dor, eu por outro lado gemia e comentava que aquele pau era demais, ele gozou antes de mim, mas em pouco tempo também gozei, deixamos as picas dentro dos cus até sentirmos relaxarem.Quando conseguimos tirar, ele disse para tirar o pau sem a camisinha, peguei umas canetas hosrográficas grandes e grossas. Colocamos a caneta e aproveitavamos para usar a tampa esférica para mover a caneta dentro.Ainda nos vemos e nos falamos, mas sempre deixamos claro que seriamos sempre amigos, nada mais, nada menos.

Um negão me fez femea.

UM NEGÃO ME FEZ FEMEA PARA SEMPRE
por Quero ser sua femea.

Sempre tive um grande desejo de ser mulherzinha para um macho, coisa que relutei muito mais o desejo aumentava a cada dia. Um dia com muito tesão acabei comprando um conjunto de lingerie e passei a usar com frequencia e tive a certeza que queria mesmo ser femea para um macho, mas faltava a pessoa certa e bem discreta. Eu trabalho em uma empresa de call center e saiu sempre as 8H da noite. sempre que saia encontraba com o zé um seguança da rua que cuidaba das casas do bairro, ele sempre passava com a moto buzinando e não raro paravamos para bater um papo rápido enquanto fechava o portão. Neste dia estava chovendo e a chuca ficou forte quando zé passou e parou, falei para entrar e esperar um pouco na garagem. ficamos conversando por um tempo e o papo chegou em sexo e vida como um todo. Zé acabara de ficar viuvo a dois meses e aos 45 anos se sentia só e confessou que não encontarava ninguém interessante. Quando a conversa ficou mais quente disse que era louco por um cu, mas sua ex-esposa sempre negava, Fui ficando com tesão e minha cabeça ia a mil, pensei mil coisas e pensei em uma forma de aproveitar o momento e oferecer meu bumbum para o zé, Perguntei a ele se ja havia comido cu de homem e ele disse que nunca havia tido a experiência, mas não iria curtir uma bunda peluda, queria uma bunda de mulher lisinha e gostosa que aguentasse sua pica negra com vontade. Meio sem jeito falei se queria ir ao banheiro antes de irmos embora e ele disse que sim, quando chegamos lá entrei primeiro e zé ficou esperando na porta, quando desci a calça e agentei meu fio dental e deixei meu bumbum lisinho a mostra, abri a porta e o Zé entrou se deparando comigo de costas oferendo meu bumbum a ele. Ele olhou sem entender nada e disse num impulso que delicia, imaginei que vc fosse viadinho, mas não sabia que tinha uma bunda assim e muito menos que usasse calcinha. Perguntei se queria me comer e logo ele tirou a pica para fora. Perguntou se eu quria mamar, Abaixei e abocanhei a rola do zé, preta e grossa, sem saber se iria aguentar chupava com tesão e a pica logo ficou muito dura. de repente Zé me puxou para cima, me colocou de costas e pediu meu cuzinho peguei sua pica e coloquei na portinha do meu cu, pedi para o ze ir devagar e ele foi muito carinho. Enfiou a cabeça e foi brincando com meu cuzinho e aos poucos foi interrando tudo. Era uma mistura de dor e tesão que nunca havia experimentado. Depois de alguns minutos Zé começou a meter mais rápido até manter um ritmo gostoso e enfiando tudo, estava muito gostoso e comeci a provoca-lo rebolando em sua pica, Zé enloqueceu e disse que estava muito desconfortavel ali, se eu gostaria de passar a noite com ele em sua casa, ele morava só e então topei. Ao chegarmos Zé me pegou por traz e chupava meu cangote ofegante de tesão, fomos para o quanto e no caminho deixei a calça e a camisa ficando só de fio dental. detei de lado e zé veio com a pica estourando de dura, colocou devagar até entrar tudo, foi maravilhoso e quando menos espero zé me disse que iria gozar e comecei a rebolar em sua pica, ele respiraba forte e me abraçou forte interrando tudo e logo senti sua pica guspindo aquela porra quentinha nomeu cu, fui as alturas e gozei tb me masturbando. Passei a noite com zé e nos tornamos amigos e parceiros de confiança. Tranzamos por dois meses seguidos quando infelizmente zé perdeu o emprego e se mudou para Minas. Hoje procuro um amigo como zé discreto maduro e fogoso para momentos de muito prazer.

msn: querosersuafemea@hotmail.com

13 de out de 2009

Meu pai me levou ao medico.
por anônimo.


Vou relatar pra vocês o que me aconteceu há alguns anos atrás. Na época eu tinha 19 anos, moreno, um corpo gostoso (assim me diziam). Bronzeado da praia, tinha um físico legal nos meus 1,70m. Morava com meus pais e estudava na faculdade. Tinha uma namorada há algum tempo, e nos dávamos muito bem, mas eu tinha minhas taras e minhas aventuras com outros caras.Minha família é legal. Meu pai é um cara jovem, possui um físico invejável.Tinha recém começado a praticar natação na academia. Voltava pra casa com as pernas doídas. Achei que fosse porque eu estava me acostumando (todo mundo que entra na academia reclama nas primeiras semanas), mas com o tempo aquela dor não ia aliviando, minhas coxas sempre doiam e meu saco também.Comentava dentro de casa e meu pai começou a se preocupar. Um dia quando reclamei que a dor estava um pouco forte, meu pai comprou gelol e veio me fazer uma massagem. Disse à ele que não precisava, que eu mesmo fazia, mas ele insistiu.Quando começou a massagear a coisa foi ficando meio crítica, porque meu pau começava a dar sinal de vida. Ainda bem que eu estava sentado, pude me debruçar sobre as pernas e meu pai não sacou nada.Um dia ele me ligou no celular, estava com pressa, só que ria me avisar que passaria na faculdade pra me apanhar. Qaudno chegou, pra minha surpresa, ele disse que veio me buscar porque havia conseguido um horário com um médico amigo dele, para o final da tarde. Apavorei com medo de eu me excitar, mas como era de maior sabia que meu pai ficaria de fora na consulta. Puro engano, papai colou em mim.Quando cheguei a consulta me deparei com um sujeito boa pinta, um Deus mais alto que eu, cabelos curtos, moreno, de pele clara, olhos verdes, lindo. Relatei ao médico o que ele já sabia (pq meu pai tinha contato) e ele mandou que eu fosse atrás de uma cortina que tem e tirasse a roupa e deitasse na cama. Fiquei só de cueca e meia e me deitei, com minha cueca branca.Ele veio e, pra desespero maior, meu pai veio junto assistir ao exame.O médico escutou o coração, mandou abrir a boca e tal. Por fim pegou minhas pernas e dobrava elas, estiva, torcia, etc. Aí ele começou a massagear min ha coxa, tentando identificar onde doía mais. mandou que eu ficasse com a cabeça deitada, que não levantasse para olhar onde ele apertava, pra não induzir o exame. Mas eu instintivamente olhava. ele então pegou uma toalha de rosto e cobriu meus olhos. Seguindo os \"apertos\". Logo meu equipamento começou a dar sinais de vida.Ele, ao ver me pau ficando duro, avisou-me pra não me preocupar que aquilo era normal. Meu pai então falou que a dor também ía até meu saco (não tinha dito isso ao médico). Ele confirmou comigo o fato e disse que teria que tirar minah cueca pra me avaliar melhor então.Fui deixado pelado, de pau duro, diante do médico e do meu pai. Ele massageava a coxa, desde o joelho, até chegar ns minhas bolas. Fez isso várias vezes. depois, enquanto massageava a coxa com uma mão, e ele abria e fechava meu pau (a pele dele). Eu já estava quase gozando, e contendo os gemidos que tinha vontade de dar).De repente comecei a achar uma coisa estranha. Quando me dei conta as minhas duas coxas estavam sendo massageadas ao mesmo tempo que meu sado e minha pica. Perguntei sem pensar o que estava contecendo, foi meu paim que disse pra eu não retirar a toalha que eles estava só me examinando.Aí pirei. Comecei a gemer baixinho, e eles a me acariciar. Quando de repente alguém abocanhou meu pau. Soltei um gemido mais alto, aí o médico pediu pra eu fazer silêncio. Tirei a toalha dos meus olhos na mesma hora, e vi meu pai mamando minha pica.O médico entaum me disse \"vc não devia ter tirado a toalha\" e abriu sua calça, mostrando uma pica maravilhosa, que fez eu mamar enquanto era mamado por meu pai. Em poucos instantes eu gozei na boca do meu pai, que veio e me beijou, fazendo-me engolir minha porra. Meu pai então me ajudou a chupar a pica do médico, até que ele gozou e encheu minha boca também de porra. Meu pai disse que agora era a vez dele gozar, mas que ele queria comer um rabo. Adivinha o de quem foi. O meu, claro. Fui comido por meu pai, de quatro, enquanto chupava a pida do gostoso do médico (que prontamente se recompôs).Foi uma foda maravilhosa, meu pai bombava meu rabo, e eu tremia que fazia o médico gemer.No final enquanto o médico me dava mais um pouco do seu leite me pai me recheava de creme branco.Depois disso de vez em quanto meu pai me levava pra fazer um \"check-up\". Se vc gostou escreva-me e mande fotos suas para retribuir minha confissão: cavaleiro.sc@bol.com.br
MEU AMIGO POLICIAL ME ESTUPROU.
por anônimo.



Alguns dias atráz, num domingo, recebí a ligação de um amigo, que é policial civil, e namora com uma amiga da faculdade.Ele estava meio triste, disse que precisava conversar, pois havia brigado com anamorada que é muito minha amiga e queria que eu o ajudasse no reconciliamento.Eles namoravam a quase um ano, e de vez em quando eles brigavam e sobrava pramim ter que fazer a cabeça da Juliana.Confesso que sempre achei o Carlos um gato, moreno claro, 30 anos, 1.87m 83k,com um corpo de deixar as mulheres malucas. Sou um cara super discreto, nao doubandeira, tenho 25 anos, também sou um cara bonito, e nunca tentei nada com ele,pois sempre respeitei minha amiga.Naquele dia estava em casa sózinho, e depois de uns 20 minutos o Carlos chegou,estava visivelmente tonto, e me disse que tinha bebido a tarde toda, que estavatriste por causa da briga deles.Começamos a bater papo assistindo um jogo que passava na TV, oferecí uma cervejae ele aceitou, papo vai, papo vem, o Carlos havia ficado mais alegre depois donosso papo.Quando acabou o jogo, mudei de canal, e estava passando um comercial daquelesChats por telefone, e começamos a falar sobre o assunto. Ele disse que nãoacreditava que pudesse ser possível conhecer mulheres bonitas pelo Chat, quandoeu disse, que não sabia se no telefone era possível, mas que eu sempre conheciaalgumas gatinhas pela internet.Ele ficou curioso, e chamei ele para irmos ver as fotos das gatas que conheciapela net, ele ficou muito interessado e perguntou se podiamos entrar em algumasala para ver no que dava.Entramos numa sala de bate papo do UOL, e logo algumas garotas começaram ateclar com ele.Depois começaram a pedir foto, mas ele dizia que não tinha, e como tenho câmeradigital, ele me pediu se tiraria uma foto sua para que ele pudesse mandar paraas garotas.Eu logo atendí seu pedido, e tirei algumas fotos suas, e sugerí que ele tirassealgunas mostrando o corpo.Ele ficou meio receioso, mas disse que toparia, e foi logo arrancando a camisa,no início ele ficou meio com vergonha, mas depois foi ficando mais a vontade.Já tinhamos tirado fotos dele de rosto, depois sem camisa, e sugerí que tirassealgumas de cueca, mas sem mostrar o rosto.Como estávamos sozinhos em casa, meus pais haviam ido ao cinema, e voltariamtarde, o convencí a ficar só de cueca na sala, onde poderia tirar umas fotoslegais.Eu ficava olhando aquele Deus Grego na minha casa só de cueca branca, imaginandoo tamanho do pau que se escondia debaixo daquela tecido.Nesse momento comecei a dar uma de fotógrafo, e pedia para ele fazer pose, e iaclicando ele cada vez mais a vontade, a coisa foi esquentando, e num momentopedí que fizesse de conta que estava tirando a cueca, ele atendeu prontamente, equando me dei conta, ele já estava totalmente nú.Acabei zuando com ele, perguntando se ele ia mostrar aquela rola mole prasgatas, que elas iriam rir dele.Ele então me pediu que pegasse uma revista de sacanagem que logo eu iria ver otamanho da jeba dele.Peguei, e para meu espanto, ele ia vendo a revista e seu pau ia ficando cada vezmaior, eu então comecei a fotografar de perto, de todos os ângulos, e quando elese deitou no sofá eu pegava na sua rola para colocar ela em outra posição.Só sei que num determinado momento, ele pegou minha mão e colocou no seu pau,então me puxou e me fez colocar a boca em seu pau.No início recusei, mas acabei aceitando, ele me segurava pelo cabelo e fodiaminha boca como se aquilo fosse uma vagina.Depois ele me jogou so sofá, arrancou minha camiseta e meu moletom, me deixandosó de cueca, enquanto roçava seu pau entre minhas coxas.Eu não sabia o que fazer, ele me dominava totalmente, mordia minha nuca, beijavaminhas costas, e aquilo estava me deixando maluco.Ele então, com toda sua força física, pegou minhas mãos, colocou pra tráz,segurou firme, e com a outra puxou minha cueca de lado, cuspiu na minha bunda ecomeçou a me penetrar.Eu não queria aquilo, afinal, estáva sem camisinha, mas ele não quis nem saber,me segurava firme enquanto me penetrava, seus 21 cm entravam de forma tãogostosa, que eu já nem sabia mais se queria que ele parasse ou não.Ele me fodia muito gostoso, me colocou de quatro, deu mais uma cuspida, eenfiava sem dó, sentia seu saco bater na minha bunda, sentia aquele macho viriltodo dentro de mim.Ele dizia que nunca tinha comido uma bunda, nem de homem e nem de mulher, masque estava adorando comer meu cuzinho.Ficou uns 10 minutos até derramar toda sua porra dentro de mim.Eu não acreditava que aquele homem, hetero, lindo, e bem dotado tinha feitoaquilo.Fomos tomar um banho, e dentro do box eu o chupei, o que deixou ele excitado aponto de querer me comer novamente.Depois disso ele foi embora, e acabou se reconciliando com a minha amiga.Mas o importante, é que sempre que eles brigam, ele acaba vindo falar comigo, esempre acaba rolando uma deliciosa transa. Tomara que eles briguem muito.Se algum cara macho estiver afim de fazer o mesmo comigo, é só escrever.Meu MSN: ariel_legran@hotmail.com
Primeira vez comum homem dentro de mim.
por Gustavinho.




15 aninhos, primeira vez com outro homem(dentro de mim)Tenho 17 anos. O que conto agora ocorreu há dois anos, ou seja, eu tinha 15 anos. Na época: 1,70m, 60kg, cabelos castanhos lisos, poucos pêlos, branco, uma bunda pequena, mas empinadinha, rosto angelical. Havia, até então, apenas tido experiências com mulheres, sexo, só com uma.Hoje, não mudei muito, estou um pouco mais alto e um pouco mais encorpado.Costumava, há um tempo, me masturbar com um amigo do prédio, assistíamos filmes pornográficos, víamos revistas de mulheres peladas, mas cada um na sua, era algo hetero, desde que havíamos descoberto a masturbação. Esse meu amigo, chamado André, era um pouco mais velho, uma diferença por volta de 1 ano. Ele era mais alto, mais forte, tinha um pau bonito, grande e grosso. Nos últimos tempos, começava a perceber que sentia algo diferente quando via o pau de André duro na minha frente. Me parecia mais interessante que as revistas ou filmes, desejava tocar nele e fazer outras coisas com ele. Em casa, quando me masturbava, pensava no André, me excitava muito e gozava rápido. Quando nos encontrávamos, já sentia dificuldade de esconder minha atração por ele. Eu queria sentir ele dentro de mim. Planejava agir, mas quando estava frente a frente com aquele pauzão, não conseguia fazer nada.Um dia, eu estava muito excitado, em casa, quando o André me ligou me convidando para assistir um filme pornô novo que ele havia comprado, muita putaria e blá, blá, blá. Fui determinado, era a hora de agir, matar aquela vontade que me perseguia. André ligou o filme, tirou o pau duro das calças. Ao ver a cena, já me excitei bastante. Tomei coragem e perguntei se podia tocar no pau dele. Ele, meio assustado, respondeu que achava que não tinha problema algum. Peguei meio sem jeito, acariciei um pouco. Comecei, então, a masturba-lo. Ele, ofegante, ainda meio assustado, pedia para eu não parar porque estava bom. Fui com a boca até o pênis dele e dei uma lambidela na cabeça. Lambi seu pau todo, até o talo, enquanto, com a mão acariciava entre suas coxas e seu saco. Abocanhei, então, seu pau todo. Ele parecia não acreditar, mas assim como eu, estava nas nuvens. Eu parecia sonhar, finalmente podia sentir aquele pau. Comecei a chupar com vontade, olhava bem nos olhos de André, ele se contorcia, até que inundou minha boca com sua porra. Era a primeira vez que eu sentia aquilo, achei muito bom, engoli o máximo que pude, mas ainda vazou um pouco pelo canto a boca, ele gozava em grande quantidade, vários jatos. Eu não havia gozado, mas me sentia muito bem. Quando ele terminou de gozar, o clima ficou meio chato, ele não acreditava que havia deixado aquilo ocorrer e achava melhor nunca mais repetirmos. Fingi concordar e pedi pra ele se acalmar, dizendo que se ele não quisesse, não ia se repetir. Ele deitou, eu deitei do lado, um pouco afastado esperando que as coisas melhorassem. Ele ligou o som, ficamos calados por um tempo, sérios. Eu ainda estava excitado, tinha vontade de terminar o que havíamos começado. Me aproximei e perguntei no ouvido dele se ele ia perder a chance de experimentar meu cuzinho. No momento, vi o volume subindo em sua calça, ele me olhou com uma cara meio indecisa. Pensou. Repentinamente, me puxou e me deu um beijo. Adorei, nunca havia beijado outro homem. Nos abraçávamos, nos beijávamos, ele me dava beijinhos no pescoço. Tirei a camiseta dele, ele tirou a minha. Levei a minha mão ao pau dele, coloquei pra fora da calça, abaixei a calça dele. Enquanto nos beijávamos, eu masturbava ele. Foi quando ele falou no meu ouvido pra eu ficar de quatro porque ele queria entrar em mim e que naquele dia eu seria só dele. Me posicionei como ele pediu. Ele tirou minhas calças, me deixou peladinho. Empinei a bundinha. Ele passou saliva nos dedos e passou no meu cuzinho, ficou penetrando o dedo no meu anelzinho, um, depois dois. Eu estava adorando, dava gemidinhos e rebolava nos dedos dele. Ele veio ao meu ouvidinho e disse que achava que eu já estava preparado. Foi quando senti sua cabeça encostando na portinha. Ele começou a forçar, eu empinei a bunda pra trás. Pedi para ele penetrar. Começou a entrar, doía um pouco, mas eu resistia e queria mais. Ele foi enfiando aos poucos, eu gemia e pedia para que não parasse. Depois de um bom tempo, envolvido pela dor e pelo prazer de finalmente sentir aquele pau me penetrando, André veio ao meu ouvido disse que já estava todinho dentro de mim. Olhei pra trás e não acreditei. Realmente, havia entrado até o talo. Pedi, então, para que fudesse meu cuzinho, bem gostoso. Ele começou a movimentar-se dentro de mim, a princípio, lentamente. Já não sentia tanta dor. Rebolava em seu pau e gemia, pedindo que não parasse. Começou a dar estocadas mais fortes e mais rápidas. Fui às nuvens. Gemia muito alto, rebolava muito e queria aproveitar ao máximo aquela pica dentro de mim. Ele pedia para que eu gemesse mais. “Não era isso que você queria? Então tome! Geme gostoso. Sua bundinha é deliciosa”. “Vai, André, não pare, vai, assim...isso...vai...”. Então, ele avisou que ia gozar. Eu pedi para que enchesse meu cu com sua porra. Em meio estocadas rápidas e meus altos gemidos: “Ahhhh...”. André inundou meu cuzinho com sua porra, eu, rebolando, ao sentir sua porra adentrando meu ânus gozei junto, muito. Caímos os dois, deitados, apoiei minha cabeça em seu peito e ele me envolveu com seu braços. Ele me elogiou, falando ao meu ouvido, disse que minha atuação havia sido muito boa e que não imaginava que meu cuzinho era tão bom. Eu agradeci e disse que parecia estar em um sonho. Ele disse que a partir de então eu seria a putinha dele. Eu adorei a idéia e aprovei com um sorrisinho.

8 de out de 2009

Comendo o viadinho.
por Jorge.


Meu nome é Jorge, moro em SP mas até 20 anos morava no interior de Minas em uma cidadezinha próxima a Abre Campo. Sou heterossexual, mas gosto muito de traçar um viadinho, sempre com sigilo e segurança. Sou casado e tenho família mais minha mulher não sabe do meu passado. Sempre tive a pica grande (20 cm de comprimento e 16 cm de circunferência). Minha mulher diz que quase rasga ela, mas não liga, diz que pau fino que escapole não dá. Mas nenhuma mulher até hoje teve coragem de me dar o cuzinho e acabei tendo que comer o cuzinho de viadinhos quando eu era jovem. O primeiro viadinho que comi fui perto do curral do meu avô em Minas. Estavamos fazendo cabana e eu disse que queria mijar. Ele falou que também ia. Só que na hora de mijar, abaixei o short todo deixando a rola toda aparecer. Ele tirou só a cabecinha praticamente pra fora pra mijar e ficou olhando pra minha rolona. Percebi que ele ficou doido no tamanho da minha picona. Aí eu falei: - Dá uma pegadinha, aqui. Ele disse que não era viado, e eu disse que não tinha nada a haver, porque ninguém ia ficar sabendo. Eu falei pra ele pegar na minha pica que depois eu pegava na dele. Ele ficou indeciso, vi a rolinha dele endurecendo e aí parti pra cima. - Dá uma pegadinha, a gente vai pra trás do curral aí ninguém vê. Ele falou: - tá bom, mas você não conta pra ninguém. Todo viadinho acredita nessa de troca-troca, e acaba dando o cu e gostando. Esquece até que queria meter. A gente foi por uma trilhazinha no meio do mato e ele foi na frente. Fiquei passando a mão na bunda dele e na terceira passada ele nem reclamava mais. Chegamo no atrás do curral e eu abaixei o short dele e mandei ele ficar de costas. Peguei no saquinho dele e apertei. Gosto de viado de pau mole, fui apertando e o carinha ficou doido de tesão aí virei ele. O viadinho já tinha visto quem era o macho ali e pediu pra ver meu pau. Abaixei o calção e ele ficou olhando, falando que era bem grande mandei ele pegar e ele pegou sem reclamar. Perguntei se ele já tinha dado e ele falou que não. Falei que era bom ele ficar de joelho pra ninguém ver ele (eheh) e o viadinho ficou. Fui logo esfregando meu pauzão na cara dele e disse chupa, cê já tá pegando mesmo, ninguém tá vendo. O viadinho pôs a boca e começou a gulosa olhei pra baixo e vi que o pauzinho estava duro de novo, mandei ele lamber as bolas mas na hora que ele tentou colocar a mão na minha bunda dei um tapa da cara dele e falei que o viado era ele. Ele falou que eu tinha dito que também ia pegar no pinto dele e aí eu disse: não vou, se você quiser a gente pára agora. O cara já estava gostando tanto de pinto que fingiu que não ouviu e deixou pra lá voltando a chupar. Inclinei colocando o dedo no rabinho dele e ele empinou a bunda aí eu disse que era hora de faturar o selinho do cu dele. Apertei um pouco mais com força o saco dele pro pau amolecer e coloquei o viado de quatro. Ele ficou choroso dizendo que ia doer e eu disse que cu de viado já vem preparado pra tomar pica. Fui enfiando naquele cu e o viadinho gemia segurando o grito. Bombei uns dez minuto naquele cuzinho e meu sacão já tava badendo no saquinho dele aí gozei dentro do cu dele. O cara ficou tão viado que até rebolou depois da gozada. Mandei ele não gozar porque senão o tesão diminuia e ele não ia dar (é uma coisa que a gente aprende com viadinhos, se deixar gozar eles não dão do mesmo jeito). Passei uma água de bica no pau e sentei numa pedra mandando ele chupar. Nem precisei de mandar direito e o boquetero já veio chupando. Mas o foda é que na hora que já estava quase gozando na boca do viadinho a gente ouviu um peão vindo e eu subi o calção. Na volta pelo caminho tinha um cavalo e eu mandei o viado pegar no pau do cavalo. A gente olhou se não tinha ninguém e ele deu uma pegada. Adorei. Se você dá o cuzinho de pinto mole me manda um email e foto, a gente pode combinar uma trepada.